Big data: Como montar o quebra-cabeça